Como cuidar do seu bem-estar em tempos de crise?


Vivemos em tempos difíceis. Mais uma vez, estamos perante a incerteza, a sensação de ansiedade e o medo causados por um acumular de dois anos de uma crise de saúde e económica, e agora por uma crise global, maior do que aquela que imaginávamos. É possível que tenha feito imensos planos e agora, mais uma vez, poderá estar a sentir dificuldade em ter esperança no futuro. Tal como você, eu sei que é algo assustador e frustrante. Quero oferecer-lhe algumas estratégias que o apoiem a tranquilizar e a dar-lhe um pouco de refúgio nesta altura tão desafiante. É fácil fecharmo-nos dentro de nós quando encaramos situações de stress inesperadas. Começamos a viver tudo muito dentro da nossa cabeça e pode ser muito traiçoeiro! Acabamos por despender imensas energias para controlarmos aquilo que parece quase incontrolável. E dá-nos uma sensação abrupta de impotência.

Deixo-lhe aqui 7 dicas do que pode fazer:

  • Partilhe com os outros: Não se isole! As suas preocupações, medos, frustrações e inseguranças podem ser partilhadas com os outros. São válidas. Cabe a cada pessoa encontrar a forma que a faça sentir mais livre. Vai haver certamente alguém que vai partilhar com os seus familiares ou amigos, mas também vão existir pessoas que vão querer libertar-se das suas emoções/pensamentos, seja através das suas redes sociais ou até do journaling. Seja qual for a sua maneira, lembre-se que deve ter um discurso compassivo que o nutra de amor, bondade e carinho.

  • Faça exercício físico: Já reparou como o exercício físico é, em muitas situações, uma excelente opção para o ajudar a lidar com a sua saúde mental? Pode até sentir que o Mundo caiu em cima de si, mas não existe melhor momento que aquele que se segue depois de um pouco de atividade e um bom banho. A sensação de liberdade e tranquilidade apodera-se do seu corpo e enquanto se mexe muita endorfina é liberada para fora do seu sistema.

  • Não descuide do seu sono: Quando tem horas de sono irregulares e pouco consistentes, corre o risco de perder o foco mais facilmente e aumentar a sua sensibilidade às situações em geral. Por mais difícil que pareça, faça um esforço de se meter em primeiro lugar. Pense num telemóvel com bateria fraca. Ele começa a falhar, a fechar as aplicações do nada e a ser muito mais lento. Pois bem, consigo é igual. Acredite que existem inúmeros problemas que parecem não ter saída que podem definitivamente esperar pelo amanhã.

  • Você é o que come: Soa clichê? Talvez, mas repare: o seu corpo precisa de se sustentar. Uma alimentação equilibrada irá dar toda a energia que o seu corpo e a sua mente precisam para se aguentar durante o dia. Se em circunstâncias normais isto já é fundamental, em dias como hoje, é absolutamente imperativo. Deixo-lhe um vídeo muito ilustrativo do que acontece no nosso cérebro em função da comida que ingerimos. O que escolhemos morder, mastigar e engolir tem um efeito direto e de longa duração no órgão mais poderoso do nosso corpo: o cérebro.

  • Procure estar atento aos seus pensamentos: Esta parece difícil e exige muito esforço e disciplina da sua parte. Mas se não for você a fazê-lo, ninguém o fará por si. Procure não se deixar consumir pelas más notícias e circunstâncias. Por muito poético que pareça, a nossa vida é só uma e devemos estar gratos até pelos pequenos momentos de luz e alegria. Procure refugiar-se na sua família, nos seus amigos, no seu parceiro e nas atividades que tanto gosta de fazer. Isto leva-me ao seguinte ponto.

  • Construa fontes de prazer: Ler um bom livro com o seu cão ao colo sempre lhe trouxe paz e alegria? Então não deixe de o fazer. São essas pequenas coisas que o vão ajudar a trazer de volta um pouco a sensação de normalidade em alturas anormais como esta. Recebemos notícias de todo o lado: televisão, redes sociais, conversas de café e chega a uma altura que se torna difícil lidar. Não descuide da informação, pois informação é poder e um povo educado é um povo com futuro. Mas... Se lhe começa a fazer mal, então já não está a servir o propósito. Afasta-se das notícias mal sinta essa necessidade e procure fazer aquilo que lhe dá propósito. Adora cozinhar? Então aproveite para fazer uma deliciosa refeição para si e para a sua família.

  • Permaneça disponível: Por vezes, ao fecharmo-nos dentro de nós, esquecemos que não somos uma ilha e que temos outras tantas pessoas à nossa volta que precisam da nossa ajuda. Algumas precisam só de serem ouvidas tal como você, outras de chorar um pouco no seu abraço. Seja qual for a necessidade, mantenha-se atenta(o) às pessoas ao seu redor. A humanidade e a compaixão pelo outro, às vezes, é tudo o que basta para fazer a diferença no outro e em si.

E recorde-se, o Mundo não depende só de si e há coisas que não vai conseguir controlar. Procure aceitar esta elevada dose de impotência e enraíze-se com o momento presente. É legítimo sentir qualquer emoção. Se se sentir assoberbado com tudo o que está a acontecer, entre em contacto, eu e a minha equipa iremos procurar apoiá-lo neste processo.