Escute a sua Criança Interior

Já ouviu falar do conceito de Criança Interior? Na psicologia analítica, o termo criança interior refere-se à criança que outrora foi. Que, todos os dias, traz dentro de si. E que permanece à sua espera para ser finalmente amada pelo que é.

A sua criança interior é uma parte inconsciente de quem é. Como todas as outras pessoas, já foi uma criança e esta dimensão vive dentro de si. A sua criança interior é uma realidade psicológica que deve ser levada a sério. Ao lidar com uma infância com fragilidades/vulnerabilidades, pode ter aprendido a internalizar crenças sabotadoras que na vida Adulta lhe trazem desafios que podem subtrair saúde e bem-estar.

Como adultos, tendencialmente, escondemos, ocultamos estas vulnerabilidades com medo de nos sentirmos cada vez mais feridos, no entanto esta estratégia defensiva apenas reforça as feridas e poderá gerar um intenso sofrimento e adoecer psicológico.

Conectar com a sua Criança Interior irá permitir reconhecê-la, compreender as suas feridas, e ressignificar algumas vivências.


Deixo alguns sinais que poderão indicar ter uma Criança Interior Ferida.


1 - Medo do abandono/rejeição

Costuma preocupar-se que as pessoas na sua vida vão deixá-lo eventualmente? Sente que não é digno de amor incondicional? Em caso afirmativo, pode inconscientemente afastar as pessoas, porque nada que alguém faça pode convencê-lo de que são verdadeiras e comprometidas. Prefere ficar sozinho do que ser abandonado/rejeitado. Esse medo comum de abandono/rejeição é indiscutivelmente um dos medos mais prejudiciais de todos.


2 - Culpa inadequada

Quando os adultos fazem as crianças se sentirem responsáveis ​​por coisas fora do seu controlo, isso pode deixar um registo de sentimentos de culpa injustificados em adulto. É normal sentir culpa quando faz algo errado. No entanto, quando a culpa não se ajusta às suas circunstâncias atuais, pode ser um sinal de uma criança interior ferida.


3 - Dificuldade em confiar

Por terem quebrado a sua confiança numa idade precoce, acaba por desconfiar das intenções das outras pessoas. A verdade é que nem toda a gente o vai magoar. Se acreditar que vai sempre sair magoado, isso o impedirá de se aproximar de pessoas que realmente o amam.


4 - Medo de estabelecer limites

Por medo de ser abandonado/rejeitado a dificuldade em estabelecer limites cresce.

Estabelecer limites implica comunicar os seus desejos/necessidades e discutir regras.



5 - Facilmente fica com raiva

A raiva é uma emoção que todos sentem num ponto ou noutro. Expressar a sua raiva pode ser saudável. Quando uma pessoa perde regularmente o auto-controlo, poderá

estar excessivamente zangado por ativar dentro de si, situações em que as suas necessidades não foram atendidas ou as suas circunstâncias foram injustas e frustrantes.



A criança interior é a portadora das nossas histórias pessoais, o veículo para as nossas memórias da criança real e de uma criança idealizada do passado.




Poderá reconectar-se com a sua Criança Interior utilizando diversas estratégias:

1. Escreva uma carta (ou desenho) para a sua criança, expressando amor incondicional e falando de algo importante;

2. Expresse-se com autenticidade e sem vergonha, respeito, aceitação e trazendo paz ao seu EU do passado. Promover um dialogo entre o nosso Eu Adulto e a nossa Criança dá-lhe reconhecimento;

3. Ativar momentos de diversão e brincadeira no dia-a-dia trazem espaço para que esta Criança se expresse;

4. Um processo psicoterapêutico, irá lhe trazer a possibilidade de se reconectar com a sua criança interior e cuidar das suas feridas.